Blog desses tempos

sábado, abril 12, 2003




Sabad�o Cultural

Hoje acordei um pouco tarde...a Elaine me ligou, a gente combinou de ir na exposi��o "Negras Mem�rias, Mem�rias de Negros - O Imagin�rio Luso-Afro-Brasileiro e a Heran�a da Escravid�o" l� na Galeria de Arte do SESI, na Paulista. Eu n�o imaginava que aconteciam exposi��es e eventos culturais naquele pr�dio, mas, ainda bem, S�o Paulo funciona culturalmente. Ali�s, programa cultural � o que n�o falta aqui. E melhor, de gra�a ! Combinamos de irmos depois l� na Faap, ver a exposi��o do Duran. Deixei o meu carro na Al. Casa Branca e encontrei com a Elaine em frente � banca. Nossa, a exposi��o est� linda !! Eu n�o imaginava que eles tinham um acervo e uma cole��o t�o grande de obras, pe�as e fotografias acerca do tema ! Gostei das fotografias do Mario Cravo Neto e do Pierre Verger. Como esses escravos sofriam, meu Deus. (sim, eu sei, mas isso � um adendo emotivo, pra quem n�o entende de emo��es) E me parece muito contradit�rio como incorporamos muitos elementos da cultura afro-negra e mantivemos essas pessoas em situa��es nada humanas. Depois, peguei uma carona com a Elaine e fomos at� o Fran's da Haddock Lobo para um caf�zinho. Conversamos um pouco, hoje eu estava MUITO sem assunto. Bom, depois passa. Ela me falou de dois amigos dela que moram em Salvador.

Voltando de l�, ela foi me levar at� a rua em que eu deixei o meu carro. Quando chegamos na Rua Padre Jo�o Manoel com Al. Itu (ou Ja�, n�o lembro, agora), vemos um grupo de pessoas fazendo passeata pela PAZ ! Era um grupo muito grande de pessoas, gente com cartazes, viol�o e megafone. Gente que estava de fato se manifestando. Gente que s� tinha entrado pra "festejar" e fazer bagun�a. Todo o tipo de gente. Um detalhe, � essa altura, o tr�nsito j� estava TODO parado. Eis que na frente do nosso carro, irritada, uma mo�a (de dentro do carro) faz um sinal de ofensa para uma outra que estava passando com o grupo. A que estava no grupo notou e veio tomar satisfa��o com a mo�a. Chutou o carro dela e falou algo como "n�o tem coragem de vir at� aqui ?" e as duas come�aram a brigar. Uma puxava o cabelo da outra, o maior barraco...pela paz, obviamente. A mo�a que n�o participava da passeata fica puta e volta para o carro, chorando. Nessa hora, confesso que fiquei constrangido. Detesto briga e sofrimento. Sei que foi o maior barraco, ali, na nossa frente, fora as buzinas que gritavam e o evento todo, que originalmente era pela paz. Ambas estavam erradas, � claro. Uma pela falta de educa��o e a outra pela falta de coer�ncia "pac�fica". Depois que a "caravana" passou e parou o tr�nsito, a Elaine me deu carona at� meu carro e voltei para casa. (Obrigado, Elaine) Acabei n�o indo ver a exposi��o do Duran, hoje...

� tardinha, a Elaine me ligou, dizendo que ia no Terra Madre com o Thiago e depois no Massivo ver o Fabs tocar e me convidou. Eu liguei para a M�nica para saber o que ela pretendia fazer hoje � noite. Ela disse que ainda n�o sabia, que ia falar com a Priscila e que depois me ligaria. De fato, ela me ligou e me convidou para ir na �ltima sess�o de cinema l� no An�lia Franco, com a Priscila. S� que como eu n�o sei andar na Zona Leste e nem sei chegar ao An�lia Franco, muito menos na Radial Leste ou no Tatuap�, agradeci o convite, pedi desculpas e falei a verdade, que n�o sei ir at� l�. Poxa, e eu crente que iria sair com a M�nica hoje...depois, liguei pra Elaine e agradeci o convite, mas preferi ficar em casa e arrumar um pouco a bagun�a, j� que a minha tia T�nia chega amanh� da Bahia. Poxa, a M�nica podia ser um poquinho menos complicada...mas, qual mulher (solteira) n�o � ?

Enquanto isso, saudades da fam�lia no Rio...estou bem introspectivo, essa semana...t� bem carente.