Blog desses tempos

quinta-feira, julho 24, 2003




Em 1992, um ano depois que o R.E.M. lan�ou o disco "Out Of Time", que foi sucesso de critica e de publico e ainda tornou o grupo popular (em se tratando de R.E.M. nao sei qual termo usar, ja que o grupo sempre teve um grupo seleto e muito especifico de fas aqui no Brasil) no Brasil e no mundo com o hit "Losing My Religion", o R.E.M. consegue se superar e lan�ar o melhor disco de sua carreira, o impressionante e minimalista "Automatic For The People". O disco, que ia se chamar "Nightswimming", teve seu nome inspirado numa lanchonete em Athens, Georgia, sua terra natal. Mike Mills explicou, na �poca : "Automatic For The People" porque achamos que eh um disco que o publico vai colocar, ouvir e gostar, de imediato."
Nao foi tao imediato assim, e o primeiro single, da musica "Drive", seria minimalista e acustica demais para agradar a gregos e troianos. O single chegou a fazer algum sucesso, mas depois do pop "facil" de hits como "Shiny Happy People" e "Losing My Religion", a musica nova era muito diferente de tudo.

Eu adoro este disco, que talvez tenha se tornado mais conhecido do publico por causa da lindissima "Everybody Hurts" e da inspirada "Man On The Moon", na qual Michael Stipe, em apresenta�oes ao vivo, personifica o comediante Andy Kauffman imitando Elvis Presley.

A musica que abre o album, "Drive", com seu clima folk e orquestrado por ninguem menos que John Paul Jones (ex-baixista do Led Zeppelin) ganha for�a nas guitarras de Peter Buck e no verso "Hey, garotos, "rock and roll", ninguem lhes diz para onde ir". Destaque para o baixo pulsante de Mike Mills em "Ignoreland" e nas duas ultimas faixas do disco : "Nightswimming", uma balada ao piano quase "zen" e "Find The River", com refer�ncias � nomes de flores e primaveril. Lindo disco !