Blog desses tempos

domingo, julho 18, 2004

Sempre detestei música eletrônica. Não vejo a menor graça. Não tem alma. E música sem alma não é música. Música é sentir as cordas do violão deslizarem por entre os dedos. Música é notar em uma canção cada sutileza ali presente, cada acorde, cada nota, o tempo, é como sentir cheiro de livro velho ou receber carta, em vez de e-mail. Música é o suor do cantor, o esforço para alcançar aquela nota mais aguda. Música sem voz também vale. A música clássica, por exemplo. Não existe nada mais sublime, com riqueza de detalhes do que a boa música clássica. Mas não é preciso ser pernóstico para gostar de música. Pegue a música dos Beatles, por exemplo. Pegue os ingleses, a maneira com que pegaram a música negra sulista americana e a transformaram em algo bem melhor. Não estou desmerecendo a música americana, pois há grandes artistas que eu gosto muito, inclusive. Ray Charles, americano, era talentosíssimo, interpretou cada música linda...o próprio Bob Dylan com seu protesto político, outro gênio. 
 
Mas não confundir. A música que os ingleses melhoraram, e muito, chama-se Rock And Roll.
 
Não considero "New Order" (que são ótimos) música eletrônica. Ingleses ! Chemical Brothers, não sei de onde são, mas alguma coisa que eles fizeram me interessa. E também aquele cara, o Norman Cook. Pelo menos ele sabe tocar um instrumento ! Agora, não tem coisa mais irritante que esse negócio de "ser DJ". O cara fica fazendo aqueles scratches no disco e acha que toca música ! Assim é fácil "ser músico", né ?